Euromilhoes

domingo, dezembro 31, 2006

Mudar de Vida


Quando se entra num novo ano, em muitas pessoas, consciente ou inconscientemente, está presente este desejo: “Quem me dera poder este ano mudar a minha vida!”. Fala-se muito em “Ano Novo, Vida Nova”, o que corresponde a um anseio muito profundo do ser humano, mas a verdade é que a maior parte de nós iniciamos o ano com esse secreto desejo e acabamo-lo com o sentimento de que, no fundamental, não mudámos nada para melhor.

Podemos parecer pessoas muito satisfeitas com o que somos, com o modo como vivemos, mas nos momentos de mais fria análise percebemos que a nossa vida está a ser um fracasso, que não nos sentimos bem, que, se um júri objectivo nos submetesse a “exame na disciplina Vida”, dar-nos-ia nota negativa.

Também as sociedades precisam de mudar. Hoje fala-se muito da premente necessidade de criar uma nova e melhor ordem mundial, com uma nova economia, uma nova justiça, um novo relacionamento entre os povos. Mas é uma ilusão esperar-se mudanças a nível colectivo, mantendo-se um estilo de vida individualista. Como Igrejas também aspiramos a mudar, a sermos este ano mais obedientes à ordem de ir e fazer discípulos, sermos uma Igreja mais fiel a Cristo – mas como o poderemos ser se na maioria nos mantivermos prisioneiros da nossa visão mesquinha, interesseira, arrogante?
Uma reflexão rigorosa sobre as eventuais causas do fracasso pode levar-nos às conclusões que se seguem.

O erro principal
A tendência humana é cada um de nós pensar demasiado em si próprio. A isso, sem uma conotação moralista, poderemos chamar egocentrismo: o homem centrado em si mesmo. É uma tendência natural quando se é criança: é correcto que o centro da vida seja o próprio, pois a criança, sendo um ser totalmente incapaz de sobreviver por si só, está, por assim dizer, programada para requerer a atenção dos adultos; da sua mãe em primeiro lugar, mas também do pai e de outros adultos. Não é erro, portanto, a criança querer toda a atenção sobre si – mas essa atenção tem de ser gradualmente dispensada, à medida que a pessoa cresce – significando total maturidade a total capacidade de autonomia. Mas “total maturidade”, digamo-lo já, é um alvo que se deve ter em vista, não sendo, por certo, muitos os que a atingem, mesmo na velhice mais avançada. Educar é fazer com que a pessoa vá paulatinamente ganhando essa autonomia. Não se espera, nem é desejável, que a pessoa chegue a sentir-se totalmente auto-suficiente, mesmo no plano sentimental, mas é saudável que possamos chegar a dispensar amizades sem solidez e cheguemos a aceitar sem perturbação a solidão. Temos conhecido pessoas que se resignam com convivências extremamente desagradáveis por não suportarem a ideia de ficar sós. Mas essas pessoas seriam mais felizes se estivessem preparadas para viver apenas consigo próprias, se tal fosse necessário.

Subdesenvolvimento psicológico
Sinal, portanto, de “subdesenvolvimento psicológico” é o continuarmos pela vida fora com um elevado grau de necessidade de estar no centro das atenções, de ser elogiado, de ser aplaudido, de receber dos outros (amor, prazer, benefícios). Se chamarmos “felicidade” ao sentimento de a pessoa se sentir bem, de se sentir “realizada”, perceberemos que não pode haver felicidade enquanto estivermos nesse “subdesenvolvimento psicológico”.
Necessariamente, a pessoa egocêntrica sentir-se-á sempre insatisfeita – e mais insatisfeita ainda vivendo rodeada por uma maioria de outros “subdesenvolvidos psicológicos” que também requerem estar no centro, querem brilhar e receber, receber benefícios. Imagine-se uma família – pai, mãe e dois filhos – todos em fase de egocentrismo, mesmo que uns mais do que outros, logo todos exigindo ser amados, servidos, beneficiados, aplaudidos. Na sua juventude, do autor destas linhas houve um autor mais ou menos das margens da sociedade lisboeta, chamado Mesquita Brehem, que pareceu querer dar origem a uma nova filosofia que designava por “Egocentrismo” – e via nela a salvação do ser humano. Deduzia que o nosso mal vem de dependermos dos outros e que é cultivando o egocentrismo que nos libertamos. Mas essa ideia é errada: o egocentrismo não nos liberta, porque ele é prisão.
Quanto mais nos centrarmos em nós mais ficamos dependentes dos outros, mais requeremos a atenção alheia, mais os nossos diabos interiores nos inquietam. Não sei o que foi feito desse autor, mas pareceu-me nos seus escritos que havia uma evolução perigosa para a excentricidade e para a paranoia, podendo ter acabado na loucura, que é também uma forma de prisão.
Foi nesta situação de “o homem centrado sobre si mesmo” que o teólogo Martinho Lutero viu a ilustração do pecado. Para ele, falar do pecado não é falar em termos moralistas deste ou daquele acto, mas é falar da situação do homem dobrado sobre si mesmo, egocêntrico, e portanto, vivendo necessariamente em conflito com os outros. É esta também a atitude da Bíblia. A alegoria da Queda de Adão e Eva transmite esse mesmo ensino e toda a Bíblia mostra que a causa do sofrimento humano é justamente o pecado. Quando os teólogos falam do Pecado Original falam desse pecado do egocentrismo, que dá origem a todo o mal. O livro de Génesis não foi escrito para responder à nossa curiosidade sobre as origens da terra e dos seres que nela habitam, mas para responder a esta questão fundamental: Génesis não compete com a ciência e as suas hipóteses, mas tem de ver com esta questão: “Porque sofremos?”. E a resposta da Bíblia é: “sofremos porque somos pecadores”. O ímpio, isto é, o homem natural, tem muitas dores, diz o Salmo 32:10.

A tarefa impossível
Descoberta ou pressentida que a causa do fracasso da nossa vida é o egocentrismo, pensamos: “Tenho de abandonar esta tendência de tudo referir a mim e preocupar-me com os outros”. Tudo e todos, de resto, nos fazem ver essa necessidade. Até muitas Igrejas tem um discurso nesse sentido: “Melhora o teu comportamento!”. Fala-se da reforma da vida, não no sentido de a pessoa se aposentar, claro, mas de melhorar o seu comportamento. As pessoas tentam - mas a verdade é que, bem vistas as coisas, não só não melhoram nada – como até podem piorar muito – porque se tornam hipócritas, fingem ter-se tornado melhores, mas nada mudou. Pelo menos nada mudou no mais profundo da pessoa. Pôs um verniz por cima do seu carácter, mas num momento de crise, o verniz salta e o carácter mostra-se tão rude como era, acrescentado com o sentimento de culpa.
A Bíblia pergunta: Pode o leopardo mudar as suas manchas? Nesse caso, também vós não podeis fazer o bem, acostumados que estais a fazer o mal Jeremias 13:23. É verdade que o verbo hebraico aqui traduzido por “acostumar”, limmud, também tem o sentido de “aprender” e “ensinar”, razão porque algumas versões dizem “sendo ensinados a fazer o mal”, e portanto poderia argumentar-se que o mal não é inato no ser humano, mas produto do que a sociedade ensina com os seus maus exemplos. É assim que em geral se pensa e foi assim que o filósofo Jean-Jacques Rousseau ensinou: o ser humano não é naturalmente mau, diz Rousseau, mas é a sociedade que o faz mau. Ora bem, a Bíblia diz que não: que não é a sociedade que nos faz maus. Quem tem razão? Nós diremos: tem a Bíblia porque ela reflecte a experiência dos povos. Neste caso a voz do povo é voz de Deus. Não podemos ler a Bíblia com olhos de ideologia, mas leiamo-la comparando-a com a nossa própria experiência e a experiência da História. Não teremos dúvida que poderíamos reconhecer que, sem que o possamos explicar, o pecado está em nós desde que nos conhecemos.

O versículo acima – “pode o leopardo mudar as suas manchas? Nesse caso, também vós não podeis fazer o bem, acostumados que estais a fazer o mal” – pelo contexto é claro que indica o mal no ser humano não como algo adquirido, pela (má) educação ou por influência alheia, mas nascido com a pessoa, exactamente como o leopardo nasce com as suas manchas. A Bíblia não especula, não faz uma afirmação filosófica sobre a natureza humana, mas limita-se a registar um facto real. Quem quiser pode não aceitar essa concepção do ser humano, mau por natureza, mas é a que a experiência individual e colectiva ensina. “Tal como o leopardo não pode mudar as manchas da sua pele, também vós, sendo maus por natureza, não podeis fazer o bem”.

Portanto, deduzindo-se, correctamente, que é a nossa inclinação para o egocentrismo que nos traz a infelicidade, pode concluir-se que nos devemos auto-corrigir. Mas é errado pensar assim, pois tal é o mesmo que uma pessoa nascida com olhos azuis querer, por esforço pessoal, passar a ter olhos castanhos. É uma tarefa impossível mudarmos por nós próprios a cor dos nossos olhos ou mudar a nossa maneira egocêntrica de viver.

Com a Revolução Francesa, muitos homens bem intencionados sonharam o nascimento de um mundo de justiça, de liberdade e de igualdade. Mas duzentos anos depois já todos sabemos que onde houve a oportunidade de realizar esses sonhos manifestaram-se fracassos colossais. E isso porque os homens bem intencionados que quiseram concretizar esses sonhos foram gradualmente fazendo o contrário do que eles próprios queriam fazer, por serem maus – tão maus como os outros que não fizeram nada de grave, porque não estiveram em condições de o fazer.
Continua a ser legítima a discussão dos sistemas sociais e da indispensável acção disciplinadora da política e dos Estados, a fim de se evitarem situações limite de degradação e de insegurança, mas sem ilusões, sabendo que o ser humano continua a ser inclinado ao pecado, isto é, inclinado ao egocentrismo que o leva a querer dominar e a querer ser servido.

Não há quem faça o bem
Pessoas sensíveis suspiram: “Não se pode confiar em ninguém!”. Podem ser pessoas sem grandes estudos e sem grandes leituras, mas provavelmente chegaram a essa afirmação por terem sido mal tratadas pela vida, tendo aprendido a dura lição.
Quem, pelo contrário, cresceu num ambiente protector e sem grandes perturbações, recebendo uma educação que sublinhou a bondade e a polidez, fica impressionado com essa desconfiança e considera-a exagerada ou mesmo maliciosa, mas vale a pena dar um novo olhar e ver se quem diz que não se pode confiar em ninguém não terá razão.
Os mais velhos, que têm uma experiência alargada e não estiveram distraídos no relacionamento nas escolas, nos empregos, nos partidos políticos mesmo com ideários muito generosos, e até a experiência dentro de Igrejas, sabem que não há exagero: em todo o lado a perversidade está presente, introduz-se a mentira, manifesta-se a traição.

Quando, no princípio de 2003, os meios de comunicação social portugueses deixaram atónito o público com a citação de nomes famosos alegadamente envolvidos em casos de abuso sexual de crianças, pessoas humildes juntaram-se em magotes para apoiarem os seus ídolos e manifestarem rejeição liminar das acusações. “Eu tenho a certeza que Fulano está inocente! É uma calúnia!”. Tais atitudes, porém, revelam o fundo católico da consciência dessas pessoas, pois o Catolicismo adoptou desde o século V uma antropologia dita semi-pelagiana muito optimista – e além disso é no seio do Catolicismo que são apontados os “santos”, cristãos e cristãs supostamente muito acima das pessoas comuns e que se notabilizaram, diz-se, por fazerem o bem. Para essa visão optimista do ser humano, há pessoas acima de toda a suspeita, de cuja bondade e correcção é mesmo ofensivo, senão blasfemo, pensar. O Protestantismo, principalmente o de linha calvinista, pelo contrário, fala da corrupção geral da humanidade e crê que não nos podemos iludir nem com o rosto angélico nem com a belas palavras dos homens.

Desconfiar, porém, não significa odiar nem desprezar os seres humanos. Significa apenas reconhecer com realismo a “nossa” condição de pecadores.
Sublinhamos “nossa” para deixar claro que quem fala da corrupção do género humano não é dos outros apenas que fala, mas também de si. Repetimos, no entanto, que falar da condição pecaminosa do ser humano não implica desprezá-lo.
Uma menina de três anos, vendo a mãe a limpar o pó da sala, toma um pano e, pressurosa, dirige-se a um jarrão da China, com cem anos na família, com a intenção de ajudar. Mas a mãe, rapidamente, proíbe-a de tocar no jarrão!
Desconfiada esta mãe? Sim, mas amando a sua menina, pela sua boa intenção, embora com três anos o mais certo seria transformar o jarrão em mil pedaços.
Pela mesma razão, ter esta visão pessimista do ser humano não obriga quem a tem a ser um misantropo, a viver com uma expressão de zangado ou a ser sistematicamente pessimista. Não podemos ter a visão ingénua da personagem do Cândido de Voltaire que achava que tudo ia bem no melhor dos mundos – mas podemos ser homens e mulheres tranquilos que não se iludem a esperar grandes coisas de si e dos outros, mas ser optimistas globalmente por acreditarem que há um desígnio no Universo e no fim o projecto de Deus sairá vencedor.

Mesmo entre um casal que se ama é errado um deles, ou ambos, crer que “pode pôr as mãos no lume pelo outro”. Todo o ser humano está sujeito a tentações e pode falhar. Os pais que educam os seus filhos ou filhas numa atitude de contínua confiança nos outros – “Não sejas desconfiado! Não penses mal de ninguém!” – não estão a preparar os filhos para a vida real e podem estar a criar neles condições psicológicas para grandes frustrações.

Foi no livro de Salmos ainda que São Paulo encontrou uma frase para explicitar a visão bíblica do homem, quando escreveu; Não há quem faça o bem, nem um sequer Romanos 3:12; Salmo 14:1/3; Salmo 52:1/3.

Não se duvida que haja pessoas bem intencionadas, que procuram fazer o bem. Mas nuns de um modo mais sofisticado noutros de forma mais brutal, não é difícil perceber que é verdadeiro o provérbio que diz que “de boas intenções está o inferno cheio”, pois ou os projectos não passam à prática ou a prática tem resultados opostos às boas intenções.

Os 21 candidatos às Novas Sete Maravilhas do Mundo

A Grande Muralha da China
1 - Acrópole de Atenas, na Grécia
2 - Alhambra, em Espanha
3 - Ruínas de Angkor, no Camboja
4 - Basílica de Santa Sofia, na Turquia
5 - Castelo de Neuschwanstein, na Alemanha
6 - Pirâmide de Chichén Itzá, no México
7 - Coliseu de Roma, em Itália
8 - Cristo Redentor, no Brasil
9 - Estátua da Liberdade, nos Estados Unidos da América
10 - Estátuas da Ilha de Páscoa, no Chile
11 - Grande Muralha da China, na China
12 - Kremlin e a Praça Vermelha, na Rússia
13 - Machu Picchu, no Peru
14 - Ópera de Sidney, na Austrália
15 - Petra, na Jordânia
16 - Pirâmides de Gizé, no Egipto
17 - Stonehenge, no Reino Unido
18 - Taj Mahal, na Índia
19 - Templo de Kiyomizu, no Japão
20 - Tombouctou, no Mali
21 - Torre Eiffel, em França

sábado, dezembro 30, 2006

APROXIMA-SE O DIA...




A decisão é sua

Existia, próximo a uma pequena cidade, uma casinha bem simples, no alto da serra, onde morava um velho, sábio, contador de histórias, uma pessoa querida e respeitada por todos que viviam naquela região.
Certo dia, um grupo de jovens travessos, sonhadores e com energia transbordando, tiveram uma brilhante idéia:
- Hoje, nós vamos desbancar aquele velho! Vamos mostrar para ele que ele é capaz de errar... A gente pega uma borboleta, coloca entre as mãos, vai até ele e pergunta o que é que a gente tem nas mãos. Como ele é sábio, facilmente vai responder. Vamos perguntar, depois que ele acertar que é uma borboleta, se ela está viva ou morta. Se ele responder que está viva, a gente aperta a mão com força e mata a borboleta, em seguida, mostrando para ele que está morta; se responder que está morta, a gente abre a mão e ela sai voando. Dessa vez o sábio não vai saber a resposta!
E assim fizeram. Pegaram uma borboleta no campo florido e dirigiram-se, eufóricos, até a casa do velho. Aproximaram-se, todos contentes, e foram perguntando, já subestimando a capacidade do velho homem.
- O que é que a gente tem aqui entre as mãos?
Ele olhou... olhou..., observou bastante e respondeu:
- Uma borboleta.
- Muito bem! Acertou. Agora, diga pra nós se esta borboleta está viva ou morta?
Olhando bem nos olhos de cada um dos adolescentes, calmamente o sábio sorriu e respondeu:
- Depende de vocês... A vida ou a morte dessa borboleta está nas suas mãos.

sexta-feira, dezembro 29, 2006

I'Ve Got The Power - Simba

im mr lonely AKON


AKON

Lonely

Lonely I'm Mr Lonely,
I have nobody,
For my owwnnn
I'm so lonely, I'm Mr. Lonely
I have nobody,
For my owwnnn
I'm so lonely,

Yo this one here goes out to all my playas out there ya kno got that one good girl whose always been there like ya
Kno took all the bullshit then one day she cant take it no more and decides to leave

I woke up in the middle of the night and I noticed my girl wasn't by my side, coulda sworn I was dreamin, for her I was
Feenin, so I hadda take a little ride, back tracking ova these few years, tryna figure out wat I do to make it go bad, cuz
Ever since my girl left me, my whole life came crashin

I'm so lonely (so lonely),
I'm Mr. Lonely (Mr. Lonely)
I have nobody (I have nobody)
To call my own (to call my own) girl

I'm so lonely (so lonely)
I'm Mr. Lonely (Mr. Lonely)
I have nobody (I have nobody)
To call my own (to call my own) girl

Cant belive I hadda girl like you and I just let you walk right outta my life, after all I put u thru u still stuck
Around and stayed by my side, what really hurt me is I broke ur heart, baby you were a good girl and I had no right, I
Really wanna make things right, cuz without u in my life girl

I'm so lonely (so lonely)
I'm Mr. Lonely (Mr. Lonely)
I have nobody (I have nobody)
To call my own (to call my own) girl

I'm so lonely (so lonely)
I'm Mr. Lonely (Mr. Lonely)
I have nobody (I have nobody)
To call my own (to call my own) girl

Been all about the world ain't neva met a girl that can take the things that you been through
Never thought the day would come where you would get up and run and I would be out chasing u
Cuz aint nowhere in the globe id rather be, aint noone in the globe id rather see then the girl of my dreams that made me
Be so happy but now so lonely

So lonely (so lonely)
I'm Mr. Lonely (Mr. Lonely)
I have nobody (I have nobody)
To call my own (to call my own)

I'm so lonely (so lonely)
I'm Mr. Lonely (Mr. Lonely)
I have nobody (I have nobody)
To call my own (to call my own) girrll

Never thought that id be alone, I didnt hope you'd be gone this long, I jus want u to call my phone, so stop playing girl and
Come on home (come on home), baby girl I didn't mean to shout, I want me and you to work it out, I never wished Id ever
Hurt my baby, and its drivin me crazy cuz...

I'm so lonely (so lonely)
I'm Mr. Lonely (Mr. Lonely)
I have nobody (I have nobody)
To call my own (to call my own)

I'm so lonely (so lonely)
I'm Mr. Lonely (Mr. Lonely)
I have nobody (I have nobody)
To call my own (to call my own) girll

Lonely, so lonely
So lonely, (so lonely),
Mr. Lonely, so lonely
So lonely, so lonely, (so lonely), Mr. Lonely

quinta-feira, dezembro 28, 2006

Hakuna Matata



O Rei Leão - Hakuna Matata
Walt Disney

Hakuna Matata
É tão fácil dizer

Hakuna Matata
Sim, vais perceber

Os seus problemas
São para esquecer

Pra sobreviver
Tens que aprender
Hakuna Matata

Ouve, quando ele era pequenino!

Quando eu era pequenino!

Que bonito

Obrigado

Sentiam que seu cheiro era de um porcalhão
Que esvazia a savana depois da refeição

Era só eu chegar, que era um tormento
Via toda a gente virar as costas pro vento

Ah, que vexame!

Era um vexame

Quis mudar de nome!

Que tem teu nome?

Eu não era fraco...

Sentia-se triste?

...Quando eu dava um-

Não, Pumba! Não na frente das crianças!

Oh! Desculpa.

Hakuna Matata
É tão fácil dizer
Hakuna Matata
Sim, vais perceber

Os seus problemas
São para esquecer
Pra sobreviver
Tens que aprender
Hakuna Matata

Os seus problemas
São para esquecer

Pra sobreviver
Tens que aprender
Hakuna Matata

Earth Song - Michael Jackson-


Composição: Michael Jackson

What about sunrise
What about rain
What about all the things
That you said we were to gain
What about killing fields
Is there a time
What about all the things
That you said was yours and mine
Did you ever stop to notice
All the blood we’ve shed before
Did you ever stop to notice
This crying Earth, its' weeping shore

Aaaaaaaaah Oooooooooh
Aaaaaaaaah Oooooooooh

What have we’ve done to the world
Look what we’ve done
What about all the peace
That you pledge your only son
What about flowering fields
Is there a time
What about all the dreams
That you said was yours and mine
Did you ever stop to notice
All the children dead from war
Did you ever stop to notice
This crying Earth, its' weeping shore

Aaaaaaaaah Oooooooooh
Aaaaaaaaah Oooooooooh

I used to dream
I used to glance beyond the stars
Now I don’t know where we are
Although I know we’ve drifted far

Aaaaaaaaah Oooooooooh
Aaaaaaaaah Oooooooooh

Aaaaaaaaah Oooooooooh
Aaaaaaaaah Oooooooooh

Hey, what about yesterday
(What about us)
What about the seas
(What about us)
Heavens are falling down
(What about us)
I can’t even breathe
(What about us)
What about apathy
(What about us)
I need you
(What about us)
What about nature’s worth
(ooo, ooo)
It’s our planet’s womb
(What about us)
What about animals
(What about it)
Turn kingdom to dust
(What about us)
What about elephants
(What about us)
Have we lost their trust
(What about us)
What about crying whales
(What about us)
Ravaging the seas
(What about us)
What about forest trails
(ooo, ooo)
Burnt despite our pleas
(What about us)
What about the holy land
(What about it)
Torn apart by greed
(What about us)
What about the common man
(What about us)
Can’t we set him free
(What about us)
What about children dying
(What about us)
Can’t you hear them cry
(What about us)
Where did we go wrong
(ooo, ooo)
Someone tell me why
(What about us)
What about baby boy
(What about it)
What about the days
(What about us)
What about all their joy
(What about us)
What about the man
(What about us)
What about the crying man
(What about us)
What about Abraham
(What about us)
What about death again
(ooo, ooo)
Do we give a damn

Aaaaaaaaah Oooooooooh
Aaaaaaaaah Oooooooooh
Earth Song (tradução)
Michael Jackson
Composição: Michael Jackson
Canção da Terra

E quanto ao amanhecer
E quanto a chuva
E quanto a todas as coisas
Que disse que conquistaríamos
E quanto aos campos de batalha
Ainda há tempo?
E quanto a todas as coisas
Que disse serem suas e minhas
Já parou para ver
Todo o sangue que já derramamos
Já parou para ver
Esta Terra que chora, está se desfazendo

Aaaaaaaaaah Oooooooooh
Aaaaaaaaaah Oooooooooh

O que fizemos ao mundo
Olhe o que fizemos
E quanto a toda a paz
Que prometeu ao seu filho
E quanto aos campos florescendo
Ainda há tempo?
E quanto a todos os sonhos
Que disse serem seus e meus
Já parou para ver
Todas as crianças mortas na guerra
Já parou para ver
Esta Terra que chora, está se desfazendo

Aaaaaaaaaah Oooooooooh
Aaaaaaaaaah Oooooooooh

Eu costumava sonhar
Que podia ver além das estrelas
Agora não sei onde estamos
Mas sei que fomos longe demais

Aaaaaaaaaah Oooooooooh
Aaaaaaaaaah Oooooooooh

Aaaaaaaaaah Oooooooooh
Aaaaaaaaaah Oooooooooh

Ei, e quanto a ontem?
([E] quanto a nós)
E quanto aos mares?
([E] quanto a nós)
Os céus estão despencando
([E] quanto a nós)
Não posso nem respirar
([E] quanto a nós)
Preciso de si
([E] quanto a nós)
E quanto ao valor da natureza?
(ooo, ooo)
É o útero do nosso planeta
([E] quanto a nós)
E quanto aos animais?
([E] quanto a eles)
Transformamos reinos em pó
([E] quanto a nós)
E quanto aos elefantes?
([E] quanto a nós)
Perdemos a confiança deles
([E] quanto a nós)
E quanto as baleias que choram?
([E] quanto a nós)
Debatendo-se nos mares
([E] quanto a nós)
E quanto as florestas?
(ooo, ooo)
Queimadas apesar de nossos pedidos
([E] quanto a nós)
E quanto a terra sagrada?
([E] quanto a ela)
Dividida por ganância
([E] quanto a nós)
E quanto ao homem comum?
([E] quanto a nós)
Não Podemos libertá-lo?
([E] quanto a nós)
E quanto as crianças que estão morrendo?
([E] quanto a nós)
Não consegue ouvir seus choros?
([E] quanto a nós)
Onde nós erramos?
(ooo, ooo)
Alguém me diga porquê!
([E] quanto a nós)
E quanto ao seu filho?
([E] quanto a ele)
E quanto aos dias?
([E] quanto a nós)
E quanto a toda diversão deles?
([E] quanto a nós)
E quanto ao homem?
([E] quanto a nós)
E quanto ao homem que chora?
([E] quanto a nós)
E quanto a Abraão?
([E] quanto a nós)
E quanto a morte?
(ooo, ooo)
Nós ao menos nos importamos?

Aaaaaaaaaah Oooooooooh
Aaaaaaaaaah Oooooooooh

Aaaaaaaaaah Oooooooooh
Aaaaaaaaaah Oooooooooh

Direitos reservados aos seus respectivos autores.
Traduções ©mjMusic.

Carlos Mendes : A festa da vida

Música: José Calvário
Letra: José Niza
www.songcontest.nl
(vencedora do festival da canção de 1972)
________________________________________
Que venha o sol o vinho e as flores
Marés, canções de todas as cores
Guerras esquecidas por amores;

Que venham já trazendo abraços
Vistam sorrisos de palhaços
Esqueçam tristezas e cansaços;

Que tragam todos os festejos
E ninguém se esqueça de beijos
Que tragam pendas de alegria
E a festa dure até ser dia;

Que não se privem nas despesas
Afastem todas as tristezas
Pão vinho e rosas sobre as mesas;
Que tragam cobertores ou mantas
E o vinho escorra p'las gargantas
E a festa dure até às tantas;

Que venham todos de vontade
Sem se lembrarem de saudade
Venham os novos e os velhos
Mas que nenhum me dê conselhos!

Que venham todos de vontade
Sem se lembrarem de saudade
Venham os novos e os velhos
Mas que nenhum me dê conselhos!

LENDAS E MITOS


TRISTÃO E ISOLDA

o pequeno porto irlandês de Wexford, onde Tristão e seus companheiros ancoraram, um cruel dragão aterrorizava os habitantes. Para não serem reconhecidos, disfarçaram-se de comerciantes.

O rei Gormond prometera dar a mão de sua filha Isolda em casamento ao valente cavaleiro que matasse o monstro. Tristão enfrentou a perigosa criatura e, após uma vitória difícil, cortou a língua do dragão e escondeu-a dentro de seu sapato: a prova decisiva. No caminho de volta, porém, caiu desfalecido, pois a língua do dragão continha um poderoso veneno.

Ao passar por ali, o senescal do rei Gormond deparou com o cadáver do monstro e aproveitou-se da situação. Cortou-lhe a cabeça e, após apresentá-la ao rei, pediu a mão da princesa Isolda, a qual cortejava havia muito tempo. Mas Isolda não o desejava como marido e desconfiou da trama. Assim, foi com a mãe até o local do combate, e ali encontraram Tristão desfalecido. Levaram-no para o palácio e, durante vários dias, cuidaram de seus ferimentos. Mas Isolda só o reconheceria quando, ao limpar sua espada, notou que faltava um pedaço. Desconfiada, comparou a lâmina com um pedaço de metal que, retirado do crânio de Morholt, fora guardado por ela como relíquia: as partes encaixavam-se perfeitamente. Tristão era o assassino de seu tio, mas, como só ele poderia provar a impostura do senescal, Isolda seguiu os conselhos da mãe e resolveu poupá-lo.

Ao saber que Tristão a pedia em casamento em nome do rei Marcos, Isolda mergulhou em profunda melancolia, mas decidiu acompanhá-lo. A rainha, que desejava a felicidade da filha ao lado do rei Marcos, confiou a uma criada uma poção mágica que os noivos deveriam beber juntos na noite de núpcias. Essa bebida, preparada à base de ervas, uniria o casal por um sentimento tão profundo que eles não poderiam sobreviver sequer a uma semana de separação.

No decorrer da viagem, porém, a criada serviu por engano a poção mágica a Tristão e Isolda. Daí em diante, nada mais poderia separá-los!

Tristão não ousou revelar a verdade ao tio, e o casamento de Isolda com o rei Marcos foi celebrado com pompa. Mas todos os dias Tristão encontrava-se secretamente com Isolda, num jardim, junto ao palácio ou mesmo nos aposentos da rainha. Apesar de todas as precauções, entretanto, os barões descobriram os encontros e alertaram o rei Marcos. Surpreendidos pelo marido traído, os dois amantes foram condenados sem julgamento: seriam queimados juntos.

Ao longo do caminho que levava à fogueira, comprimia-se uma multidão entristecida. Ao passar diante de uma capela construída na beirada de uma falésia, Tristão desejou rezar. Como seus guardiães haviam desamarrado suas mãos, conseguiu escapar e precipitou-se no vazio - mas salvou-se ao agarrar-se a uma pedra que sobressaía no paredão. Em seguida, pulou para a praia e fugiu. Mais adiante, seu escudeiro Gorneval esperava-o com cavalo e armas. Só então pôde libertar Isolda.

Durante três anos, viveram escondidos na floresta. Tristão fez um arco, com o qual nunca perdia a presa, e Gorneval construiu uma cabana de galhos e troncos. Certo dia, um cachorro juntou-se a eles - era Husdent, que reencontrava seu dono, Tristão. Husdent aprendeu a caçar sem latir, para não denunciar sua presença.

Um dia, o rei Marcos descobriu o esconderijo e encontrou Tristão e Isolda adormecidos, abrigados no simplório casebre. Sentiu pena daqueles corpos tão magros, que os andrajos mal escondiam. Anunciou então que estava disposto a receber Isolda de volta na corte. Mas Tristão deveria partir para bem longe.

A poção mágica já perdera o efeito fazia muito tempo, mas Tristão e Isolda continuavam amando-se. Assim, após a partida de Isolda, o cavaleiro tentou permanecer a seu lado, mas os espiões do rei estavam sempre em seu encalço. Por isso, ele teve de embarcar para a Armórica.

Na pequena Bretanha, Tristão colocou-se a serviço do rei Hoel, tornando-se amigo de seu filho, o cavaleiro Kaherdin. Com o passar do tempo, Tristão pensou que poderia esquecer Isolda casando-se com outra mulher. Desposou a irmã de Kaherdin, que também se chamava Isolda e era conhecida como Isolda das Brancas Mãos. Mas a lembrança da loura Isolda jamais abandonou Tristão, o que não escapou aos olhos da esposa e do cunhado.

Um dia, Tristão foi gravemente ferido pelo anão Beladis, cuja mulher Kaherdin cortejava secretamente. Pediu então ao cunhado que fosse à Cornualha buscar Isolda, a loura, pois só ela poderia salvá-lo.

Ansioso pela chegada do navio, todos os dias Tristão pedia que o levassem até a praia. Ficara combinado que Kaherdin içaria uma vela branca se Isolda estivesse a bordo e uma vela preta em caso contrário.

Mas Isolda das Brancas Mãos surpreendera a conversa e, louca de ciúmes, enganou Tristão. Quando o navio surgiu no horizonte, Tristão já estava enfraquecido demais para enxergar, e a esposa disse-lhe que uma vela negra fora içada. Tristão pensou que sua amada o abandonara e morreu de infelicidade. Ao chegar, Isolda, a loura, viu o corpo de Tristão estendido na praia, não resistiu e caiu morta junto ao amado.

Os dois foram enterrados lado a lado. O rei Marcos ordenou que se plantasse uma roseira selvagem no túmulo de Isolda e uma videira no de Tristão. Ao crescer, as duas plantas enrolaram-se uma na outra, como se quisessem ensinar aos homens que o amor: é mais poderoso que a morte.


^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^
^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^


O PEIXE DO CHIFRE DE OURO
Índia


o nascer do Sol, o sábio Manu estava à beira do rio sagrado, entregue a suas abluções rituais. Recolhendo água fresca nas mãos juntas, jogava-a sobre o corpo, pronunciando orações. Nisto, o sábio trouxe à superfície um peixinho minúsculo, todo agitado, cujas escamas brilhavam como ouro. Na cabeça, ele tinha um chifre meio estranho. Manu ficou intrigado.

- A que espécie pertence este peixe esquisito? - perguntou de si para consigo.

Esquecendo as orações, revirava o peixe na palma da mão. Então, uma vozinha lhe implorou:

- Sábio Manu, por favor, não me jogue de novo no rio! Não posso defender-me dos peixes grandes, que me comeriam de uma só vez...

- Este peixe deve ser um mensageiro dos deuses, pois sabe meu nome... - pensou Manu. Segurando cuidadosamente o animalzinho minúsculo, voltou o mais depressa possível para casa. Chegando lá, encheu uma jarra com água fresca para o peixe.

Várias vezes durante o dia, Manu foi olhar a jarra. Tudo corria bem: o peixe nadava à vontade, decerto feliz por estar em segurança. Mas Manu tinha a impressão de que ele crescia. A cada olhada, achava-o maior.

- Não, não é possível! - disse a si mesmo. - Devo estar ficando maluco com esta história!

Cansado de tantas emoções, Manu deitou-se mais cedo que nos outros dias e dormiu como uma pedra.

Na manhã seguinte, foi despertado por uns barulhos que vinham de dentro da jarra. Levantou-se correndo e chegou bem a tempo. O peixe dourado, cem vezes maior, ocupava todo o espaço disponível. Já não sobrava nem uma gotinha de água. Manu pegou a jarra, correu até o charco mais próximo e jogou o peixe lá dentro.

Voltou para casa preocupado com o que iria acontecer. Na manhã seguinte, o charco ficara pequeno demais para seu novo habitante. Então, Manu estava desesperado. Em primeiro lugar, estava ficando difícil transportar o peixe, cada vez mais pesado. Depois, não sabia como aquela história iria acabar. De qualquer modo, conseguiu levar o estranho animal até o mar, fazendo-o descer por um grande rio.

O animal atingira um tamanho gigantesco. Suas escamas douradas fulguravam ao Sol. Para olhar o peixe, Manu (que ficara na praia) precisava apertar os olhos. Antes que o bicho se afastasse, o homem gritou:

- Não posso fazer mais nada por você... Posso saber quem é?

- Pode, sábio Manu. Chegou o momento de satisfazer sua legítima curiosidade. Sou Vishnu, o deus que cuida da ordem do mundo. Deixei minha morada celeste porque o mundo corre perigo. Em breve, a Terra será submersa por um dilúvio, e todas as criaturas que nela vivem se afogarão. Se você não seguir minhas instruções, a vida desaparecerá. Pois, sábio Manu, eu o escolhi para salvar todas as espécies.

Consciente da importância da missão que Vishnu lhe confiava, Manu aceitou sem hesitar.

- Tomei a forma de um peixe para atraí-lo ao oceano - explicou o deus. - Agora, vou mandar-lhe um barco bem grande, em que caiba um casal de cada espécie animal que vive na Terra. Reúna-os depressa. Traga também sacos com sementes das sete variedades de arroz. Para cuidar da segurança do navio, manterei minha forma de peixe.

Foi assim que Manu, ajudado por Vishnu, preservou a vida na Terra. No auge do dilúvio, quando a tempestade varria o oceano, Vishnu pediu socorro à grande serpente divina Ananka, que vive escondida no eixo do mundo. Ananka desenrolou-se, e Manu utilizou-a como corda para amarrar o barco ao chifre de Vishnu. Guiado pelo deus até as montanhas, o sábio pôde esperar em segurança que as águas baixassem.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

O GRANDE COMBATE

o alto do monte Olimpo, protegidos da curiosidade dos homens por nuvens espessas, os imortais - deuses e deusas - conversavam alegres e despreocupados em volta da mesa de um grande banquete. Reinam a harmonia e o contentamento. De repente, uma pedra imensa cai bem no meio da festa, provocando um começo de pânico.

- Quem teve a ousadia? - grita Zeus, o rei dos deuses, no meio da confusão geral que se estabelece.

As divindades mal têm tempo de se recuperar do espanto, e já uma série de blocos de pedra, acompanhada de tochas em chamas, começa a cair sobre o Olimpo.

Os imortais se reúnem assim que podem e examinam a situação, que, pelo jeito, é muito preocupante. Sobre todas as montanhas da vizinhança, destacam-se as silhuetas de vinte e quatro titãs, gigantes de longas cabeleiras, com barbas cerradas e pés em forma de serpente. São eles os autores desse bombardeio que devasta o Olimpo. Filhos da Terra, esses horríveis seres resolveram destronar Zeus, expulsar as outras divindades e tomar seus lugares.

No momento, beneficiam-se do efeito-surpresa e, se não houver uma reação rápida, talvez atinjam seus objetivos.

Hera, a mulher de Zeus, está com um ar especialmente sombrio. Sabe que nenhum desses titãs pode ser morto por um deus. Só um mortal, vestido com uma pele de leão, poderia deixá-los num estado em que não conseguiriam mais fazer mal a ninguém. A deusa também revela ao marido que a guerra estará perdida se não se colher uma planta misteriosa, escondida num lugar secreto, a qual tem o poder de tornar invencível quem a encontrar.

Preocupado, Zeus chama Atena, a deusa da sabedoria, e conversa longamente com ela. Depois, manda-a em busca de Héracles, o herói da pele de leão, e ordena que o Sol, a Aurora e a Lua apaguem suas luzes. Quando tudo fica escuro, Zeus desce do Olimpo e, tateando, procura e encontra a tal planta mágica. Em seguida, leva-a de volta à morada dos deuses, aonde Heracles acaba de chegar.

Agora, os deuses estão prontos a enfrentar os inimigos.

Fazendo pontaria no chefe dos titãs, Héracles lança uma flecha e atinge o gigante. O monstro cai no chão, mas, para surpresa geral, levanta-se imediatamente, mais vigoroso e alerta do que antes.

Atena compreende tudo e grita:

- Depressa, Héracles! Essa criatura recupera as forças quando está em contato com sua terra natal. Carregue-a para bem longe!

Enchendo-se de coragem, o herói salta sobre o gigante, agarra-o com seus braços fortes e leva-o a um país longínquo, onde o mata com um golpe de maça.

Enquanto isso, a batalha continua, cruel. Todos os deuses lançam-se ao combate. Hefesto, o ferreiro manco, deixa em brasa os ferros e funde metal. Apolo, deus do Sol, lança flechas assustadoras. Posídon, senhor dos mares, empunha o seu tridente. Apenas as deusas pacíficas, como Deméter e Héstia, ficam à margem da luta. Assustadas, trêmulas, contemplam o terrível espetáculo. Atena, por sua vez, descobre uma nova arma: erguendo rochas pesadíssimas, lança-as sobre os atacantes.

No entanto, mesmo se as pancadas dos deuses e das deusas conseguissem abater os titãs, não seriam suficientes para eliminá-los, pois, mesmo feridos, esses seres imundos voltavam à luta. Por isso, é necessário que Héracles lhes dê um golpe de misericórdia: desfere golpes fortíssimos com sua maça e atira flechas com grande destreza.

Daí a algum tempo, a maioria dos gigantes jaz no chão. Os que ainda se agüentam em pé compreendem que sobram poucos, e a derrota agora lhes parece inevitável. Fogem desesperadamente e se dispersam sobre a Terra, perseguidos pelos deuses, que querem completar sua vitória.

Um dos titãs, Encélado, que corre mais depressa que os outros, acha que está seguro longe da Grécia, mas Atena o descobre. Agarrando um rochedo gigantesco, ela o lança com violência sobre Encélado. Achatado pelo projétil em pleno mar, desde esse dia o titã passa a ser a ilha da Sicília.

Com um só golpe de tridente, Posídon racha em duas a ilha de Cós e joga uma das partes sobre o outro titã, o qual fica esmagado sob uma nova ilha: Nisiro.

Assim, um por um, os titãs são todos derrotados.

Entretanto, não pense que eles morreram. Seus corpos estão debaixo da terra, é verdade. Mas as numerosas erupções vulcânicas provam que continuam vivos, tão perigosos e malvados quanto antes.

Héracles parte para outras aventuras, e os deuses voltam ao Olimpo. Logo está tudo arrumado de novo, e o banquete interrompido pode prosseguir. Em volta do trono de Zeus, deuses e deusas reencontram sua alegria, tomando sua bebida natural, o néctar, e deliciando-se com seu petisco favorito: a ambrosia. A conversa continua descontraída, como se nada houvesse acontecido. Afinal, são imortais. Têm todo o tempo do mundo.

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^



O Egito
Ô ESTRATAGEMA DE ISIS


uem é esse velho miserável que se aproxima, andando com dificuldade, entrevado, quase enfermo? É o deus Rá, poderoso senhor dos Céus, pai e mestre do Universo. Com efeito, o passar do tempo é inexorável. Tudo está condenado à velhice e à decrepitude, e nem mesmo o deus Rá escapa a essa lei. Os deuses, inquietos, percebem que a cada dia seu pai está mais senil. Até mesmo os homens reparam que o brilho do disco solar vai enfraquecendo sem cessar. O estado de Rá piora com o passar do tempo: seus membros vão ficando rígidos, seus ossos se convertem em prata. Pouco a pouco, seu corpo vai transformando-se em ouro. Seus cabelos ficam lápis-lazúli. Em breve, o Sol não passará de uma massa condensada de minerais e metais preciosos. Além disso, precisa apoiar-se num bastão para conseguir caminhar. Que tristeza tal decadência atingir a maior de todas as divindades!

Esse deus poderoso (e velho acabado) teve numerosos filhos e netos. Entre estes, Ísis, grande maga, que tem quase tanta sabedoria quanto o avô. Não ignora nada a respeito do Céu, da Terra ou dos mundos subterrâneos. O único conhecimento que lhe falta é justamente aquele que lhe daria os imensos poderes de uma deusa de primeira grandeza: o verdadeiro nome de Rá. O deus solar é designado por tantos e tão diversos nomes que não se sabe qual o verdadeiro. Ptá, Amom, Aton... Os homens e os deuses conhecem esses nomes e muitos outros. Mas, nas profundezas de seu ser, Rá esconde com cuidado seu único nome autêntico, aquele que ninguém jamais ouviu, e esse nome tem poderes mágicos que Ísis cobiça. Ao ver Rá curvado sobre a bengala, ela resolve desvendar o mistério. Como, no entanto, convenceria Rá a revelar seu segredo mais precioso? Sábia e astuta, a deusa acaba imaginando um estratagema.

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^
^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

A SERPENTE MÁGICA

Todo dia, Rá caminha, com dificuldade, ao longo da mesma estrada. Escondida atrás de espessos arbustos, Ísis o vigia. De repente, o velho tosse e cospe. Assim que ele se afasta, a maga corre até o local onde caiu a saliva divina e a transforma em pedra, misturando-a com a terra. Daí a pouco, entre seus dedos, essa lama amassada toma a forma de uma serpente, que ganha vida por meio de palavras mágicas pronunciadas por Ísis. Em seguida, ela esconde o réptil na estrada pela qual Rá costuma passar. No dia seguinte, ao fazer seu passeio diário, Rá sente no pé uma dor aguda, que imediatamente se espalha pelo corpo todo, sem que ele tivesse ao menos vislumbrado a serpente que o mordeu. Rá sente o corpo queimar e, ao mesmo tempo, um frio glacial percorre suas veias. Um violento tremor sacode-o e o faz gritar:

- Que é isso? Que me aconteceu?

Ao ouvir seus gritos, todos os deuses acorrem. Rá explica que sente uma dor imensa, mas não sabe a origem. O grande deus Sol consegue apenas lamentar sua impotência diante do mal que lhe aflige. É então que, destacando-se do círculo formado em torno de Rá pelas divindades aterrorizadas, Ísis avança:

- Foi uma serpente, divino pai, que com seu poderoso veneno causou o mal que atormenta teu corpo.

Espera um instante e acrescenta:

- Revela-me teu verdadeiro nome e, com meus encantamentos, te livrarei da dor.

O velho deus está a ponto de desmaiar e se retorce no chão. Sofre, mas hesita. Embora não queira revelar o segredo, precisa dar uma resposta a Ísis. Desesperado, limita-se a enumerar os diversos nomes que todos conhecem.

- Sou Quéfri de manhã, Rá ao meio-dia e Aton ao entardecer.

Ísis, no entanto, não se deixa enganar e responde:

- Nenhum desses é teu verdadeiro nome! Dize a verdade, e minha magia pode livrar-te para sempre dessa dor.

Rá ainda hesita e resiste o quanto pode, mas a dor torna-se insuportável, e ele acaba cedendo. Contrariado, chama Ísis para junto de si:

- Vem cá! Vou derramar em teu coração o poder que está no meu.

Ísis aproxima-se de Rá, que a leva para longe dos outros deuses. A contragosto, sussurra em seu ouvido o nome misterioso. Fortalecida pelo segredo, Ísis pronuncia as únicas palavras mágicas capazes de quebrar o encantamento. Imediatamente, Rá recupera a saúde. O grande deus fica muito aborrecido por ter sido obrigado a entregar a essência de seu poder, mas Ísis está feliz: acaba de transformar-se numa das maiores divindades, senão, a mais poderosa de todas.

quarta-feira, dezembro 27, 2006

J. S. BACH

INOCENTE OU CULPADO?


Conta uma lenda que, na Idade Média, um homem muito religioso foi injustamente acusado de ter assassinado uma mulher. Na verdade, o autor do crime era uma pessoa influente no reino e, por isso, desde o primeiro momento, se procurou um bode expiatório para esconder o verdadeiro assassino.


O homem injustamente acusado de ter cometido o assassinato foi levado a julgamento. Ele sabia que tudo iria ser feito para condená-lo e que teria poucas hipoteses de sair vivo das falsas acusações. A forca o esperava!


O juiz, que também estava predisposto para levar o pobre homem à morte, simulou um julgamento justo, fazendo uma proposta ao acusado para que provasse sua inocência.


Disse o desonesto juiz: — Como o senhor, sou um homem profundamente religioso. Por isso, vou deixar sua sorte nas mãos de deus. Vou escrever em um papel a palavra INOCENTE e em outro a palavra CULPADO. E deverá escolher apenas um dos papéis. Aquele que escolher será o seu veredicto.


Sem que o acusado percebesse, o inescrupuloso juiz escreveu nos dois papéis a palavra CULPADO, fazendo, assim, com que não houvesse alternativa para o homem. O juiz, então, colocou os dois papéis em uma mesa e mandou o acusado escolher um. O homem, pressentindo o embuste, fingiu se concentrar por alguns segundos a fim de fazer a escolha certa. Aproximou-se confiante da mesa, pegou um dos papéis e rapidamente colocou-o na boca e o engoliu. Os presentes reagiram surpresos e indignados com tal atitude.


O homem, mais uma vez demonstrando confiança, disse: — Agora basta olhar o papel que se encontra sobre a mesa e saberemos que engoli aquele em que estava escrito o contrário.

O MONGE E O ESCORPIÃO


Um monge e seus discípulos iam por uma estrada e, quando passavam por uma ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pela margem do rio, meteu-se na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trazia para fora do rio o escorpião o picou. Devido à dor, o monje deixou-o cair novamente no rio. Foi então à margem, pegou um ramo de árvore, voltou outra vez a correr pela margem, entrou no rio, resgatou o escorpião e o salvou. Em seguida, juntou-se aos seus discípulos na estrada. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e penalizados.

— Mestre, o Senhor deve estar muito doente! Por que foi salvar esse bicho ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu à sua ajuda: picou a mão que o salvava! Não merecia sua compaixão!

O monge ouviu tranqüilamente os comentários e respondeu: — Ele agiu conforme sua natureza e eu de acordo com a minha.

MANOLO OTERO - Todo el tiempo del mundo



Hoy tengo tiempo,
tengo todo el tiempo del mundo,
para pensar en nosotros,
para pensar en ti … y en mi,
y en todas las pequeñas cosas
que nos rodeaban
y que entonces no comprendí.

Y es que aún te quiero,
si … te quiero … te quiero !

Y pienso en aquellas mañanas
y siento aún el calor
de nuestros cuerpos,
que entre las sábanas
formaban una cárcel maravillosa
de la que nos resistíamos a huir.

Recuerdo nuestro lenguaje
hecho de caricias y susurros.
Como te echo de menos
y cuanto te quiero …
Si

Recuerdas? … Si.

Pero aquello acabó, como acaba todo,
casi sin querer, igual que
el río se pierde en el mar.
No, no … no fue culpa tuya ni mía,
pero con nuestro orgullo
perdimos mil cosas bellas.

Hoy tengo tiempo,
tengo todo el tiempo del mundo,
y cuanto más pienso, más te añoro
y más te deseo…

Y es que aún te quiero …
TE QUIERO … TE QUIERO !

Si
Pero donde estás ?

POR QUE AS PESSOAS SOFREM?




— Vô, por que as pessoas sofrem?
— Como é, minha neta?
— Por que as pessoas grandes vivem bravas, irritadas, sempre preocupadas com alguma coisa?
— Bem, minha filha, muitas vezes porque elas foram ensinadas a viver assim.
—Vô...
— Como é que as pessoas podem ser ensinadas a viver mal? Não consigo entender. Na minha escola a professora só me ensina coisas boas.
— É que elas não percebem que foram convencidas a ser infelizes, e não conseguem mudar o que as torna assim. não estás entendendo, não é, meu amor?
—Não, Vô.
— lembras-te da história do Patinho Feio?
— Lembro-me.
— Então... o Patinho se considerava feio porque era diferente. Isso o deixava muito infeliz e perturbado. Tão infeliz, que um dia resolveu ir embora e viver sozinho. Só que o lago que ele procurou para nadar havia congelado e estava muito frio. Quando ele olhou para o seu reflexo no lago, percebeu que ele era, na verdade, um maravilhoso cisne. E, assim, se juntou aos seus iguais e viveu feliz para sempre.
— O que isso tem a ver com a tristeza das pessoas?
— Bem, quando nascemos, somos separados de nossa Natureza-cisne. Ficamos, como patinhos, tentando aceitar o que os outros dizem que está certo. Então, passamos muito tempo tentando virar patos.
— É por isso que as pessoas grandes estão sempre irritadas?
— É por isso! Vis-te como és esperta?
— Então, é só a gente perceber que é cisne que tudo dará certo?
— Na verdade, minha filha, encontrar o nosso verdadeiro espelho não é tão fácil assim. Lembras-te o que o cisnezinho precisava fazer para poder se enxergar?
—O que?
— Ele primeiro precisou parar de tentar ser um pato. Isso significa parar de tentar ser quem a gente não é. Depois, ele aceitou ficar um tempo sozinho para se encontrar.
— Por isso ele passou muito frio, não é,vô?
— Passou frio, fome e ficou sozinho no inverno.
— É por isso que o pai anda tão sozinho e bravo?
— Não entendi, minha filha?
— Meu pai está sempre bravo, sempre quieto com a música e a televisão dele. Outro dia ele estava chorando no banheiro...
— Vô, o pai é um cisne que pensa que é um pato?
— Todos nós somos, querida. Em parte.
— Ele vai descobrir quem ele é de verdade?
— Vai, minha filha, vai. Mas, quando estamos no inverno, não podemos desistir, nem esperar que o espelho venha até nós. Temos que exercer a humildade e procurar ajuda até encontrarmos.
— E aí mudamos para cisnes?
— Nós já somos cisnes. Apenas temos que deixar que o cisne venha para fora e tenha espaço para viver e para se manifestar.
— Aonde vais?
— Vou contar para o pai o cisne bonito que ele é!
o avô apenas sorriu!

terça-feira, dezembro 26, 2006

Viver com alegria



As sementes da vida precisam ser semeadas com paz e amor, e assim, poder gerar o alimento que
precisamos para viver.

Viver com alegria, coragem e
determinação de seguir adiante.

Viver o presente com sabedoria
e plenitude para que o ontem
seja um sonho de felicidade e
cada amanhã uma visão de esperança.

Feliz Natal e

um Ano Novo cheio de realizações...

(cique na imagem duas vezes)

segunda-feira, dezembro 25, 2006

Luz da estrela de Belém entre a fé e a ciência

Um enigma científico ou um sinal de fé para os cristãos? O brilho da estrela, que orientou e iluminou o caminho dos três reis Magos até a manjedoura de Jesus em Belém, irradia mistério. A certeza dos mais devotos, enraizada nas palavras da Bíblia sem direito ao vacilar da questão, contrasta com a curiosa procura de explicação pelos cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, para as três aparições do astro dourado.

Seja milagre divino, seja cometa ou dança celestial dos planetas, certo é que a simbologia marca presença em milhares de habitações. A estrela ergue-se na entrada dos presépios ou a adornar o topo das árvores de Natal. Assim sucede também na casa de Arnaldo e de Maria de Fátima que, por um dia, sacodem a solidão na aldeia de Felgueira, em Carrazeda de Ansiães. A chegada dos sete familiares de Lisboa e da Suíça é vivida com a expectativa de ter casa cheia num núcleo quase fantasma, no qual, durante o resto do ano, o casal vive apenas um para o outro.

O reencontro da família é a palavra chave da celebração natalícia por excelência. E, no Vaticano, em Roma (Itália), o Papa Bento XVI elege a valorização da vida humana no momento de recordar o nascimento de Cristo. Palavras marcadas pela polémica gerada em torno da morte provocada do italiano Piergiorgio Welby, que morreu, esta semana, depois dos médicos terem desligado o ventilador que o mantinha vivo há cerca de nove anos. Ficou ainda o apelo ao fim dos preconceitos para gerar a paz.

Paz que os três mil cristãos que vivem em Gaza não celebrarão nas ruas. O conflito interno na Palestina faz com que, no primeiro ano de liderança do Hamas, o Natal seja contido. As decorações natalícias só se verão no interior das habitações. O pinheiro gigante na praça principal ficou sem adornos. A missa da meia-noite e a parada anual foram canceladas. A fé comanda a celebração um pouco por todo o mundo, embora vivida de forma distinta.

Carla Sofia Luz

TU EXISTES

Se é Natal...
Porque ficar triste?
deixa-te levar...
Pela magia que no ar existe!

Se o bom velhinho
Vem ou não vem
Só o facto de tu existirs
Já é um grande bem...

que sejas alegre e não triste...
Pelo simples facto
De que “Tu existes”...

Rico, pobre, gordo, magro...
Baixo, alto, feio, bonito...
Escuta o que te digo...

Tu és único...
E a certeza que deves sempre ter
Jesus te dá a oportunidade
A grande oportunidadede de viver...

No teu Natal não podes ser triste
Pela alegria de que “tu existes”
Então não te sintas mal...
Solta-te e...” Feliz Natal “...
Celia Piovesan
__________________________________________________________

___________________________________________________________
Acredita
Novo Som

Ei, não fique assim
Solidão não vai trazer a solução
Pro seu sofrer
Não, não há razão
Pra viver tão triste assim
Existe alguém que sofreu
No seu lugar
Acredita e Ele é a vida
Não, não estou aqui pra fazer
A sua cabeça
Mas pra dizer que nem
Tudo se perdeu
Acredita existe um Deus
Ele vai lhe estender a mão,
Lhe abraçar e acalmar
O seu coração
Ele vai lhe levantar do chão
Estará para sempre ao seu lado;

Acre - di - ta nesse amor maior
Que sofreu até morrer pra lhe salvar
Ele vai lhe estender a mão,
Lhe abraçar e acalmar
O seu coração
Ele vai lhe levantar do chão
Estará para sempre ao seu lado;
Acre - di - ta nesse amor maior
Que sofreu até morrer

ERA- Ameno

É Só Acreditar

Jamily
É Só Acreditar

Teu coração te diz que não tem jeito
Uma voz te diz que acabou
Quem te conhece diz só um milagre
Dizem tantas coisas

As circunstâncias dizem impossível
Amigos dizem que você falhou
Mas Deus está dizendo eu posso tudo
Se você crer que Eu sou capaz

Chega de ficar dizendo que não é ninguém
Use essa fé que eu sei que você tem
Que Eu te faço um campeão
Só depende de você, esta é a hora
Posso mudar a sua história
É só acreditar que é capaz

As circunstâncias dizem impossível
Amigos dizem que você falhou
Mas Deus está dizendo eu posso tudo
Se você crer que Eu sou capaz

Se for chorar, Eu sou o teu consolo
Estou contigo no teu caminhar
E se encontrar barreiras no caminho
A fé vai te dar asas pra alcançar

Chega de ficar sofrendo...

Sarah Brightman & Andrea Bocelli - Con te partiro

domingo, dezembro 24, 2006

Menu de Natal


Carne de Vinho e Alhos
Ingredientes:

3 Kg de carne de porco entremeado

1 cabeça de alho

3 folhas de louro

1 ramo de segurelha

3 pimentas

1 ½ litros de vinho branco

¼ litro de água

Sal q.b.
Modo de preparar:
Parte-se a carne aos bocados pequenos. No fundo de uma taça pisa-se o alho, louro, pimentas, segurelha, sal. Misturam-se o vinho e a água. Esfrega-se a carne com esses temperos e vai-se pondo a carne temperada dentro de uma púcara. Deita-se sobre a carne o resto dos temperos, que ficaram na taça e que devem cobrir por completo a carne. Passados alguns dias está pronta a cozinhar. Põe-se a panela ao lume com a carne espremida do molho. Deixa-se cozer em lume brando. Quando estiver a ferver muito bem colocam-se fatias de pão de casa sobre a carne, para amolecerem com o vapor. Logo que o pão esteja mole, tira-se para um prato e embrulha-se para ficar quente. Deixa-se apurar a carne e está pronta a servir. Guarnece com rodelas de laranja.
.................................................
Bacalhau com Natas

Confecção
4 postas de bacalhau demolhado Coza o bacalhau, em água temperada com sal. Retire-o, reservando 2 dl da água da cozedura. Limpe-o de peles e espinhas e desfie-os. Reserve.
Descasque as batatas, corte-as em cubos e frite-as, em óleo bem quente. Retire-as e escorra-as sobre papel absorvente.
Pique as cebola e os alhos e refogue-os no azeite. Adicione o bacalhau e o louro e envolva bem.
Prepare o molho bechamel, levando a manteiga ao lume e, assim que derreter, deite a farinha. Acrescente o leite e a água da cozedura do bacalhau e, rectifique de sal e tempere com pimenta e noz-moscada. Deixe engrossar (se ganhar grumos, passe a varinha magica), junte as batatas, as natas e o bacalhau.
Disponha o preparado numa travessa funda, polvilhe com queijo ralado e leve ao forno, a 200ºC, durante 25 minutos.
Sirva a seguir.
.............................................................

Rolo de Carne


De : Mafalda Mendonca
Data da receita : 12/01/2006

Tempo de preparação : 31 - 45 minutos

Para : 4 pessoas
Ingredientes :

1 Kg Carne moida
1 pc Sopa de cebola
1pc Natas
6 Fatias de fiambre
6 Fatias de queijo
q.b. Azeitonas

confecção :

Deita-se a carne moida em cima duma bancada. faz-se um buraco ao meio deita-se a sopa de cebola (sem dissolver) bate-se e depois as natas torna-se a mexer junto com a carne.
espalha-se a carne e forma-se um rectângulo, coloca-se uma tira ao meio de fiambre, queijo e azeitonas.
Enrola-se, coloca-se num tabuleiro e vai ao forno +/- 40 minutos.

pudins diversos
café e degestivo
fruta

MENSAGEM DE NATAL




Estive meditando sobre o Natal.
Interessante...
Não consegui me fixar na imagem
de uma doce criança adormecida,
repousando sobre um leito de palha.

Meditar sobre o Natal levou-me a Jesus
trazendo-nos a Boa Nova.
"Eu lhes dou um novo mandamento:
Amem uns aos outros, assim como eu os amei."
(Jo,13,34)

Passaram-se dois milênios...
A ciência e a tecnologia
descortinaram horizontes ilimitados.
A humanidade deveria estar em paz!
Mas não está.

Confusas, as pessoas não encontram uma forma
de como ser gente no mundo das máquinas.
Apesar do conforto e das comodidades,
vivemos uma grande solidão.
Esquecemos o Mandamento do Amor!
E, assim, vivemos a solidão do desamor.

O Amor é gratuito. Não se compra e nem se troca.
O Amor requer profundidade. Não sobrevive na superfície.
O Amor repousa na alma
de onde transborda para o corpo e para o universo.
O Amor tece laços com linhas de infinito.
O Amor é nosso traço de união com Deus,
através dos nossos companheiros de caminhada.

Natal.
O Amor pede permissão para nos entregar
a Paz e a Felicidade que nos foram destinadas.

Um Feliz Natal de Amor para todos nós!

sábado, dezembro 23, 2006

WHITE CHRISTMAS

The Theme from "A Summer Place"

OS CONDIMENTOS - A SUA UTILIDADE

AÇAFRÃO - Vitela, Coelho, Galinha, Pato, Peru, Peixe, Paelha, Camarão e Sopa de caldeiras de peixes.
AIPO - Dobrada, Carne de porco, Carne picada, Ensopados, Ensopado de galinha, Peixes, Arroz, Sopas, Canja de galinha, Caldo de carne, Molho de tomate.
ALECRIM - Assados (porco e vaca), Empadão de carne de porco, Carneiro, Galinha, Peru, Caça, Peixes, Arroz, Croquetes, Bolo de atum, Perfumar legumes (Nabo e Batata), Sopa de galinha, peixe e de tomate, Molhos para aves e carneiro, Molho de tomate.
ALHO - Assado de vaca e de porco, Ensopados, Cozidos, Grelhados, Bifes, Almôndegas, Cabrito, Carneiro, Coelho, Todos os tipos de aves, Peixe de água doce e salgada, Camarão, Beringela, Couve e verduras refogadas, Molho de carne e de tomate para massa, Molho de escabeche, Vinha d'alhos.
CHILLI (MISTURA DE PIMENTOS MEXICANOS) - Dobrada, Ensopados, Almôndegas, Assados, Vários pratos de galinha, Camarão, Peixe, Lagosta, Salada de legumes e de batata, Milho, Beringela, Cebola, Sopa de ervilha e de tomate, Molhos.
COENTRO (GRÃO OU FOLHAS) - Assados de porco, Almôndegas, Salada de alface e tomate (só as folhas), Favas.
COMINHOS - Assados e ensopados (vaca) Carneiro e cabrito, Enchidos de sangue, Grelhados de peixe, Caranguejo e lagosta, Salada de pepino e de tomate, Repolho, Salsa, Cenoura, Batata, Nabo, Sopa de repolho, Molho de manteiga para massas e legumes, Queijos, Feijoada.
CRAVINHO - Ensopados de vaca, Língua de porco, Presunto, coelho, Caça, Sopa de cebola, Caldo de carne e de galinha, Molho de tomate.
CANELA - Ensopado de porco, Presunto, Beterraba, Cenoura, Cebola, Abóbora, Batata-doce, Arroz-doce.
CARIL - Empadão de carne (porco, vaca e carneiro), Carneiro e Cabrito, Galinha, Pato, Peixe, Camarão, Caranguejo, Lagosta, Arroz, Salada de galinha, Beterraba, Cenoura, Batata-doce, Nabo, Sopa de galinha, de ervilha de tomate e de legumes, Molhos para recheio.
ENDRO (GRÃO OU FOLHAS) - Ensopados e assados em geral, Costeletas de carneiro, Ensopado de galinha, Peixes, Saladas de legumes (pepino e tomate).
ESTRAGRÃO - Vitela, Aves, Todos os peixes, Sopas, Ovos, Molhos.
FUNCHO (GRÃO) - Todos os tipos de carnes, Coelho, Galinhas, Pilaf, Pato assado, Peixe assado e crustáceos, Peixe ensopado, Bouillabaisse, Molhos de carne para massas e de tomate.
GENGIBRE - Assados, Ensopados, Costeletas, Galinha frita e assada, Pato assado, Ensopado de pato e de galinha, Legumes verdes.
HORTELÃ - Ensopado de carneiro e Cabrito, Escalopes de Vitela, Sopas, Salada de frutas.
LOURO - Assados, Ensopados, Cozidos, Carneiro, Coelho, Vitela, Língua de porco, Peixe de água doce ou salgada, Camarão e Crustáceos, Caça, Sopa de feijão e lentilha, Bouillabaise e consomé, Molho de carne e de tomate, Molho de escabeche e vinha d'alhos, Arroz.
MANJERICÃO - Vitela, Assados, Ensopados, Almôndegas, Assados de carneiro e de vitela, Galinha frita, Peixes, Camarão, Lagosta, Caranguejo, Salada de tomate, Sopa minestrome de ervilhas, espinafres, legumes, Molho de tomate, e de Manteiga, Massas, e queijos.
MANJERONA - Coelho, Batata.
MOSTARDA - Aves, bifes.
NOZ-MOSCADA - Aves, Massa, Batata, Legumes.
SALSA - Assados, Ensopados, Carne de Porco, Empadão de carne, Carneiro, Vitela, coelho, Peixe de água doce e salgada, Camarão, Amêijoas, Salada de legumes, Salada de tomates e vinha d'alhos.
SALVA - Porco, vitela.
TOMILHO - Carneiro e cabrito, Aves, Caça, Molhos.
ZIMBRO - Carne de porco.

BACKSTREET BOYS -Incomplete


Incomplete
Backstreet Boys
Composição: Dan Muckala/Jess Cates/ Lindy Robbins

Empty spaces fill me up with holes
Distant faces with no place left to go
Without you within me I can’t find no rest
Where I’m going is anybody’s guess

I’ve tried to go on like I never knew you
I’m awake but my world is half asleep
I pray for this heart to be unbroken
But without you all I’m going to be is incomplete

Voices tell me I should carry on
But I am swimming in an ocean all alone
Baby, my baby
It’s written on your face
You still wonder if we made a big mistake

I’ve tried to go on like I never knew you
I’m awake but my world is half asleep
I pray for this heart to be unbroken
But without you all I’m going to be is incomplete

I don’t mean to drag it on, but I can’t seem to let you go
I don’t wanna make you face this world alone
I wanna let you go (ohhh nooo)

I’ve tried to go on like I never knew you
I’m awake but my world is half asleep
I pray for this heart to be unbroken
But without you all I’m going to be is incomplete





Backstreet Boys - Everybody (Backstreet's Back)

Everybody (Backstreet's Back)
Backstreet Boys
Composição: Denniz Pop/ Max Martin

Everybody
Rock your body
Everybody
Rock your body right
Backstreet's Back alright

Hey, hey yeah...well..
Oh my god we're back again
Brothers, sisters, everybody sing
Gonna bring the flava,
Show you how
Gotta question for you
Better answer now yeah

Am I original?
Yeah
Am I the only one?
Yeah
Am I sexual?
Yeah
Am I everything you need?
You better rock your body now

Everybody (yeah)
Rock your body (yeah)
Everybody
Rock your body right
Backstreet's Back alright

Now throw your hands up in the air
Wave them around like you just don't care
If you wanna party let me hear you yell
Cuzz we got it goin' on again

Am I original?
Yeah
Am I the only one?
Yeah
Am I sexual?
Yeah
Am I everything you need?
You better rock your body now

Everybody (yeah)
Rock your body (yeah)
Everybody
Rock your body right
Backstreet's Back alright

So everybody everywhere
Don't be afraid
Don't have no fear
I'm gonna tell the world
Make you understand
As long as there be music
We'll be comin' back again

MENSAGEM DE NATAL

Saiba ser Feliz

é preciso não pensar na idade
mas vive-la;
Saber ser feliz
é preciso antes de tudo
encontrar a paciência
suprir a necessidade da mente
em busca do dia-a-dia
na consciência de entender
que um dia você pode lutar para vencer
mesmo que antes já tivesse sido derrotado
mas sem nunca perder as esperanças.
Porque o comodismo é a injustiça da liberdade
que provoca o transtorno do pecado
e o desamor a condição de caminhar pela paz.
E a vida é todo espaço de tempo
que temos para pensar
no momento em que estamos consciente
do que fazemos em benefício do amanhã.

Cientistas japoneses fazem vídeo de lula gigante em movimento


TÓQUIO (Reuters) - Agitando tentáculos avermelhados, uma lula gigante não conseguiu escapar de ser gravada em um vídeo divulgado por cientistas japoneses na sexta-feira.

As imagens do animal --uma fêmea relativamente pequena, com cerca de 3,5 metros de comprimento e 50 quilos-- representaram o prêmio máximo para os zoólogos do Museu Nacional de Ciências, que perseguem há anos uma das criaturas mais misteriosas do oceano.

"Ninguém, além de pescadores, tinha conseguido ver uma lula gigante viva", afirmou o chefe da equipe, Tsunemi Kubodera, em entrevista à imprensa na sexta-feira.

"Acreditamos que essas sejam as primeiras imagens de uma lula gigante em movimento."

Pouco se sabia, até recentemente, sobre a criatura que teria inspirado o mito do "kraken", um monstro dotado de tentáculos e acusado por marinheiros de ter afundado navios nas costas da Noruega, no século 18.

Relatos não-confirmados dão conta de que a lula gigante pode chegar a medir 20 metros de comprimento. Mas, segundo cientistas, é improvável que o animal represente uma ameaça a embarcações já que vive a centenas de metros de profundidade.

A equipe de pesquisadores japoneses conseguiu encontrar a lula gigante seguindo o maior predador desses animais --as cachalotes-- quando se reuniam para se alimentar perto das ilhas Ogasawara, a mil quilômetros ao sul de Tóquio, entre setembro e dezembro.

Em 2005, os cientistas tinham conseguido tirar as primeiras fotos de uma lula viva, descobrindo que ela se locomovia de forma mais ágil do que se imaginava e que capturava as presas envolvendo-as em seus poderosos tentáculos.

A espécie mais recente, cujo corpo preservado em formol ficou em exibição durante a entrevista à imprensa concedida no museu japonês, foi capturada por meio de um anzol colocado a 650 metros de profundidade, perto das ilhas Ogasawara, em 4 de dezembro, disseram os cientistas.

Uma lula com cerca de 55 centímetros de comprimento havia sido atraída pela isca colocada no anzol. E a lula gigante foi capturada quando tentou comer a lula menor.

(Por Isabel Reynolds e Toshi Maeda)

May it be- ENYA



May It Be
Enya

May it be an evening star
Shines down upon you
May it be when darkness falls
Your heart will be true
You walk a lonely road
Oh!How far are you are from home

Mornie utúlien (darkness has come)
Believe and you will find your way
Mornie alantie (darkness has fallen)
A promise lives within you know

May it be the shadows call
Will fly away
May it be your journey on
To light the day
When the night is overcome
You may rise to find the sun

Mornie utúlien (darkness has come)
Believe and you will find your way
Mornie alantie (darkness has fallen)
A promise lives within you

A promise lives within you now


May it Be (tradução)
Enya
Composição: Enya

Pode ser

Pode ser, uma estrela da noite
Brilhando sob si
Pode ser, quando a escuridão cair
Seu coração será a verdade
caminhe ao longo da estrada
Oh quão longe está de casa

Escuridão tem vindo
Acredite e encontrará seu caminho

Escuridão tem caído
Uma promessa vive, dentro de si

Pode ser, o chamado da sombra
Voará para longe
Pode ser, sua jornada
Para iluminar o dia
Quando a noite se vai
pode se elevar para encontrar o sol

Escuridão tem vindo
Acredite que encontrará seu caminho

Escuridão tem caído
Uma promessa vive dentro de si
Uma promessa vive dentro de si

Louis Armstrong - What A Wonderful World



Artist: Louis Armstrong
Song: What A Wonderful World L

I see trees of green, red roses too
I see them bloom for me and you
And I think to myself what a wonderful world.

I see skies of blue and clouds of white
The bright blessed day, the dark sacred night
And I think to myself what a wonderful world.

The colors of the rainbow so pretty in the sky
Are also on the faces of people going by
I see friends shaking hands saying how do you do
They're really saying I love you.

I hear babies cry, I watch them grow
They'll learn much more than I'll never know
And I think to myself what a wonderful world
Yes I think to myself what a wonderful world.

quinta-feira, dezembro 21, 2006

Mariah Carey_Without You



Letra Original
Artist: Mariah Carey
Song: Without You

NO I CAN?T FORGET THIS EVENING
OR YOUR FACE AS YOU WERE LEAVING
BUT I GUESS THAT?S JUST THE WAY THE STORY GOES
YOU ALWAYS SMILE BUT IN YOUR EYES
YOUR SORROW SHOWS. YES IT SHOWS
NO I CAN?T FORGERT TOMORROW
WHEN I THINK ABOUT MY SORROW
WHEN I HAD YOU GIRL
BUT THEN I LET YOU GO
AND NOW IT?S ONLY FAIR THAT I
SHOULD LET YOU KNOW
WHAT YOU SHOULD KNOW
I CAN?T LIVE
IF LIVING IS WITHOUT YOU
I CAN?T LIVE
I CAN?T GIVE ANYMORE
NO I CAN?T FORGET THIS EVENING
OR YOUR FACE AS YOU WERE LEAVING
BUT I GUESS THAT?S JUST THE WAY THE STORY GOES
YOU ALWAYS SMILE BUT IN YOUR EYES
YOUR SORROW SHOWS . YES IT SHOWS
I CAN?T LIVE
IF LIVING IS WITHOUT YOU
I CAN?T LIVE
I CAN?T GIVE ANYMORE


Letra Traduzida
Artista: Mariah Carey
Música: Sem ti

NÃO, NÃO POSSO ESQUECER ESSA NOITE
OU SEU ROSTO ENQUANTO TU PARTIAS
MAS ACHO QUE É ASSIM QUE SÃO AS COISAS
TU SEMPRE SORRIS, MAS EM TEUS OLHOS
TUA DOR SE MOSTRA. SIM ELA MOSTRA-SE
NÃO, NÃO POSSO ESQUECER O AMANHÃ
QUANDO EU PENSAR NA MINHA TRISTEZA
QUANDO EU TE TINHA, MENINA
MAS DEIXEI-TE PARTIR
E AGORA É APENAS JUSTO QUE EU
DEVERIA FAZER-TE SABER
O QUE TU DEVERIAS SABER
EU NÃO POSSO VIVER
SE A VIDA FOR SEM TI
EU NÃO POSSO VIVER
EU NÃO POSSO MAIS CONTINUAR
NÃO POSSO ESQUECER ESSA NOITE
OU TEU ROSTO ENQUANTO PARTIAS
MAS ACHO QUE É ASSIM QUE SÃO AS COISAS
TU SEMPRE SORRIS, MAS EM SEUS OLHOS
TUA DOR SE MOSTRA, SIM ELA MOSTRA-SE
EU NÃO POSSO VIVER
SE A VIDA FOR SEM TI
EU NÃO POSSO VIVER
EU NÃO POSSO MAIS CONTINUAR

When I Need You--Leo Sayer


When I Need You
Leo Sayer

When i need you
I just close my eyes
And i'm with you. and all that i so wanna give you
It's only a heartbeat away.

When i need love
I hold out my hands
And i touch love. i never knew there was so much love
Keeping me warm night and day.

Miles and miles of empty space in between us
The telephone can't take the place of your smiie.
But you know i won't be travelling for ever.
It's cold out
But hold out
And do like i do.

When i need you
I just close my eyes

It's not easy when the road is your driver.
Honey that's a heavy load that we bear.
But you know i won't be travelling a life time.
It's cold out
But hold out
And do like i do.
Oh
I need you.

When i need love. i hold out my hands

When i need you
I just close my eyes
And you're right here by my side.
Keeping me warm night and day
I just hold out my hands
I just hold out my hands
And i'm with you
Darling.
Yes
1' with you
Darling
Aii i wanna give to you
It's only a heartbeat away.
Oh
I need you
Darling.

When I Fall In Love - Celine Dion



When I Fall In Love

When I fall in love
It will be forever
Or I'll never fall in love
In a restless world like this is
Love is ended before it's begun
And too many moon light kisses
Seem to cool in the warmth of the sun

When I give my heart
It will be completely
Or I'll never give my heart
And the moment
I can feel that
You feel that way too
Is when I fall in love with you

And the moment
I can feel that
You feel that way too
Is when I fall in love with you

ABBA-The day before you came --Agnetha


The day before you came --Agnetha
ABBA

I must have left my house at eight
because I always do
my train, I’m certain
left the station just when it was due
I must have read the morning paper
going into town
and having gotten through the editorial
no doubt I must have frowned
I must have made my desk
around a quarter after nine
with letters to be read
and heaps of papers waiting to be signed
I must have gone to lunch
at half past twelve or so
the usual place, the usual bunch
and still on top of this
I’m pretty sure it must have rained
the day before you came

I must have lit my seventh
cigarette at half past two
and at the time I never
even noticed I was blue
I must have kept on dragging
through the business of the day
without really knowing anything
I hid a part of me away
at five I must have left
there’s no exception to the rule
a matter of routine
I’ve done it ever since I finished school
the train back home again
undoubtedly I must have
read the evening paper then
oh yes, I’m sure my life was
well within its usual frame
the day before you came

I must have opened my front door
at eight o’clock or so
and stopped along the way
to buy some Chinese food to go
I’m sure I had my dinner
watching something on TV
there’s not, I think, a single
episode of Dallas that I didn’t see
I must have gone to bed
around a quarter after ten
I need a lot of sleep and so
I like to be in bed by then
I must have read a while
the latest one by Marilyn French
or something in that style
it’s funny, but I had no sense
of living without aim
the day before you came

And turning out the light
I must have yawned and
cuddled up for yet another night
and rattling on the roof
I must have heard the sound of rain
the day before you came

Crazy Frog-Jingle Bells

George Michael - Wham - Last ChristmasGeorge Michael - Careless Whisper - One More Try


Last Christmas

Last Christmas, I gave you my heart
But the very next day, You gave it away
This year, to save me from tears
I'll give it to someone special

Last Christmas, I gave you my heart
But the very next day, You gave it away
This year, to save me from tears
I'll give it to someone special

Once bitten and twice shy
I keep my distance but you still catch my eye
Tell me baby do you recognise me?
Well it's been a year, it doesn't surprise me

(Happy Christmas!) I wrapped it up and sent it
With a note saying "I Love You" I meant it
Now I know what a fool I've been
But if you kissed me now I know you'd fool me again

(CHORUS)

(Oooh. Oooh Baby)

A crowded room, friends with tired eyes
I'm hiding from you and your soul of ice
My God I thought you were someone to rely on
Me? I guess I was a shoulder to cry on
A face on a lover with a fire in his heart
A man undercover but you tore me apart
Oooh Oooh
Now I've found a real love you'll never fool me again
(CHORUS)

A face on a lover with a fire in his heart
(Gave you my heart)
A man undercover but you tore me apart
Next year
I'll give it to someone, I'll give it to someone special
special
someone
someone
I'll give it to someone, I'll give it to someone special
who'll give me something in return
I'll give it to someone
hold my heart and watch it burn
I'll give it to someone, I'll give it to someone special
I've got you here to stay
I can love you for a day
I thought you were someone special
gave you my heart
I'll give it to someone, I'll give it to someone
last christmas I gave you my heart
you gave it away
I'll give it to someone, I'll give it to someone



~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

Careless Whisper

I feel so unsure as I take your hand an lead you to the dance floor.
As the music dies something in your eyes
Calls to mind a silver screen and you're its sad goodbye.
I'm never gonna dance again
guilty feet have got no rhythm

Though it's easy to pretend
I know you're not a fool.
I should have known better than to cheat a friend

And waste a chance that I've been given.
So I'm never gonna dance again
the way I danced with you.
Time can never mend the careless whispers of a good friend.
To the heart and mind ignorance is kind.
There's no comfort in the truth
pain is all you'll find.
I'm never gonna dance again
guilty feet have got no rhythm
. . .
Never without your love.
Tonight the music seems so loud
I wish that we could lose this crowd.
Maybe it's better this way

We'd hurt each other with the things we want to say.
We could have been so good together

We could have lived this dance forever

But now who's gonna dance with me? - Please stay.
And I'm never gonna dance again
guilty feet have got no rhythm
. . .
No dance
no dance
no dance
you're gone - no dance
you're gone.
This matter is so wrong
so wrong
that you had lo leave me alone.



George Michael - One More Try

I've had enough of danger
And people on the streets
I'm looking out for angels
Just trying to find some peace
Now I think it's time
That you let me know
So if you love me
Say you love me
But if you don't just let me go...

'Cos teacher
There are things that I don't want to learn
And the last one I had
Made me cry
So I don't want to learn to
Hold you, touch you
Think that you're mine
Because it ain't no joy
For an uptown boy
Whose teacher has told him goodbye, goodbye, goodbye

When you were just a stranger
And I was at your feet
I didn't feel the danger
Now I feel the heat
That look in your eyes
Telling me no
So you think that you love me
Know that you need me
I wrote the song, I know it's wrong
Just let me go...

And teacher
There are things
That I don't want to learn
Oh the last one I had
Made me cry
So I don't want to learn to
Hold you, touch you
Think that you're mine
Because it ain't no joy
For an uptown boy
Whose teacher has told him goodbye, goodbye, goodbye

So when you say that you need me
That you'll never leave me
I know you're wrong, you're not that strong
Let me go

And teacher
There are things
That I still have to learn
But the one thing I have is my pride
Oh so I don't want to
Hold you, touch you
Think that you're mine
Because there ain't no joy
For an uptown boy
Who just isn't willing to try

I'm so cold
Inside
Maybe just one more try...

MADEIRA a Pérola do Atlântico

MADEIRA LIVRE
Quando acertamos, ninguém se lembra. Quando erramos, ninguém se esquece.


RELÓGIO e CALENDARIO



HORAS NO MUNDO

Praias Brancas e Águas transparentes

Praias Brancas e Águas transparentes
Paraiso

Arquivo do blogue

PAULOFARIA & C.ª®

Creio que Deus nos colocou neste delicioso mundo para sermos felizes e saborearmos a vida. A felicidade não vem da riqueza, nem do sucesso profissional, nem do comodismo da vida regalada e da satisfação dos próprios apetites. Um passo para a felicidade é, quando jovem, tornar-se forte e saudável, para poder ser útil e gozar a vida quando adulto. O estudo da natureza mostrará o quão cheio de coisas belas e maravilhosas que Deus fez no mundo para o nosso deleite. Fiquem contentes com o que possuem e tirem disso o melhor proveito. Vejam o lado bom das coisas em vez do lado pior. Mas, o melhor meio para alcançar a felicidade é proporcionar aos outros a felicidade. Procurem deixar este mundo um pouco melhor do que o encontraram, e, quando chegar a hora de morrer, poderão morrer felizes sentindo que pelo menos não desperdiçaram o tempo e que procuraram fazer o melhor possível. Deste modo estejam "bem preparados" para viver felizes e para morrer felizes.
BADEN-POWELL
Loading...

PAULO FARIA

PAULO FARIA

PAZ E TRANQUILIDADE

PAZ E TRANQUILIDADE

PAULO FARIA BLOG

PAULO FARIA BLOG
MADEIRA

OBRIGADO PELA SUA VISITA AO MEU BLOG

Tire todas as suas dúvidas sobre blogs.

COMENTE O MEU BLOG E DÊ SUGESTÕES

Credo dos Optimistas
O Credo dos Optimistas foi escrito há quase 100 anos por Christian D. Larson.
Eu prometo a mim mesmo Ser tão forte que nada poderá atrapalhar minha paz de espírito.Falar apenas de saúde, felicidade, e prosperidade para cada pessoa que eu encontrar.Fazer todos os meus amigos sentirem que há algo de valor dentro deles.Ver o lado positivo de tudo e fazer meu optimismo se tornar real.Pensar apenas sobre o melhor, trabalhar apenas para o melhor e esperar apenas o melhor.Ser tão entusiasmado com o sucesso dos outros quanto eu sou para o meu próprio sucesso.Esquecer os enganos do passado e me concentrar apenas nas maiores realizações do futuro.Vestir uma expressão de alegria todo o tempo e sorrir para toda criatura viva que eu encontrar.Direccionar todo meu tempo para me melhorar de maneira a não sobrar tempo para criticar os outros.Ser grande demais para preocupar-me, nobre demais para ter raiva, forte demais para ter medo, e feliz demais para permitir a presença de problemas.Pensar o melhor de mim mesmo, e anunciar isso ao mundo, não em palavras ruidosas, mas sim em grandes acções.Viver na fé de que o mundo inteiro está do meu lado, à medida em que sou sincero e verdadeiro quanto àquilo que há de melhor em mim.
Assim seja!


Acerca de mim

A minha foto
Sou misterioso, sou muito ligado ás tradições. sonhador da ternura da imaginação e da memória com tenacidade fixa, idealizo as recordações, acontecimentos e sentimentos do passado para me proteger contra as incertezas do futuro. No amor há algo dentro de mim como nos contos de fadas, com a a minha princesa, mas também com uma maldição para combater os monstros ameaçadores. Tento ser um romântico, mergulhando num sonho ideal e inacessível. O meu humor é extremamente mutável e em ocasiões sou rabugento e agressivo, tenho necessidade de auto-defensa (às vezes antes mesmo de ser atacado) é uma das minhas características não muito agradáveis. Oscilo entre o júbilo e a depressão. Ás vezes sou muito fechado. Costumo ser intelectualmente ligado às artes e à poesia.

PAULO FARIA BLOG

PAULO FARIA BLOG
FANTASTICBLOG

QUE FAZER NESTE PAÍS EM QUE OS RICOS FICAM MAIS RICOS E OS POBRES CADA VEZ MAIS POBRES?

Porque gosta dar uma olhada no meu Blog?